Mistura de SMA

Stone Mastic Asphalt é uma mistura asfáltica de elevada resistência, estável, que evita a formação de trilha de rodas, com elevado contacto agregado com agregado, e a existência de uma argamassa rica em filler e também em ligante asfáltico modificado por polímero SBS, proporcionando excelente durabilidade. A presença de fibra de celulose evita escorrimento do ligante.

INFORMAÇÕES SOBRE SMA.
A mistura asfáltica tipo SMA ( Stone Matrix Asphalt ou Stone Mastic Asphalt), foi originária na Alemanha no final da década de 1960 sob a denominação “splittmastixasphalt”, que teve como objetivo principal reduzir o desgaste superficial e, as deformações permanentes.
Trata-se conforme significado do nome Stone Mastic Asphalt, SMA, em inglês, (Agregado, Argamassa e Asfalto), de uma mistura asfáltica com elevado teor de agregados graúdos compondo a estrutura ou o esqueleto mineral e descontinuamente uma argamassa composta de uma elevada porcentagem de finos (cal hidratada, pó de pedra , fibra de celulose e ligantes asfálticos modificados por polímero).
O comportamento em serviço destas misturas, se dá através de uma estrutura composta por agregados duros, unidos através de elevada coesão de uma argamassa asfáltica, que preenche  os vazios dos agregados.
ESTRUTURAS DAS MISTURAS ASFÁLTICAS

As misturas dos tipos CBUQ possuem uma granulométrica contínua enquanto a SMA é descontínua.
Misturas dos tipos SMA possuem elevado percentual de argamassa, conferindo os grãos dos agregados uma espessa película de asfalto, mantida estável graças às fibras de celulose, polímeros SBS e cal hidratada.

Estudos efetuados na Europa e Estados Unidos, desde 1990, em vias de grande volume de tráfego, ficaram comprovados as excelentes performances das misturas dos tipos SMA.

Devido seu alto desempenho e bom comportamento nas estradas européias e americanas, milhares de quilômetros de rodovias  com tráfego intenso e pesado foram revestidas com SMA. Também, países como China, Coréia, Taiwan, Filipinas,  Austrália e Nova Zelândia já adotam a tecnologia SMA.

As principais características e desempenhos que as misturas do tipo SMA proporcionam são:
– Baixo teor de vazios conferindo alta impermeabilidade, boa resistência ao envelhecimento e a umidade, aumentando consideravelmente sua durabilidade.
– A presença de um mastigue rico em asfalto  confere melhor resistência a trincas térmicas.
– A presença de filer, geralmente cal, e de asfalto modificado aumentam a aderência asfalto/agregado.
– Boa estabilidade em razão do mastigue formado principalmente por asfalto polímero, filer e fibra, reduzindo consideravelmente a segregação.
– Estabilidade assegurada devido ao seu esqueleto pétreo e elevado atrito interno.
– Resistente a deformação plástica em razão da combinação de esqueleto pétreo de agregado graúdo, que promove aumento no atrito interno e ao deslocamento transmitido por ligante modificado com polímero e fibra de celulose.
– Excelente resistência à derrapagem e redução do ruído devido ao elevado teor de agregados graúdos, formando uma macro textura rugosa que provoca aderência aos pneus.
– Menor spray de água, permitindo maior visibilidade durante a chuva.

A composição do SMA se caracteriza pela alta quantidade dos agregados graúdos, mais de 70 %, apresentando uma distribuição granulométrica  descontinua, formando uma matrix pétrea, sendo parte dos vazios  preenchidos por um mastigue constituído por asfalto de alta viscosidade, filer, areia britada e fibra. Como exemplo a figura a seguir apresenta a  textura e distribuição interna dos agregados  em uma mistura de  SMA.

As misturas asfálticas do tipo SMA, em razão de seu desempenho e versatilidade, são utilizadas em inúmeras aplicações destacando-se:

  • Para rejuvenescer pavimentos asfálticos cuja superfície de rolamento apresenta elevado grau de deterioração;
  • Melhorar o desempenho funcional da superfície de rolamento, permitindo maior conforto e segurança;
  • Reduzir o “SPRAY” causado pelo deslocamento de água da superfície do revestimento pelos pneus e minimizar efeitos de derrapagem em razão de sua excelente macro-textura;
  • Reduzir  o reflexo ofuscante noturno na superfície de rolamento, melhorando também a visibilidade horizontais da pista;
  • Reduzir o nível de ruído (freqüência sonora) entre pneus e revestimento devido as propriedades da textura que se obtém com esse tipo  de mistura e,
  • Para vias de volume de tráfego pesado, trechos em rampas, pontes, paradas de ônibus e aeroportos.

Cuidados especiais deverão ser observados no  desenvolvimento do projeto da mistura asfáltica do tipo SMA, não devendo  ser aplicado o procedimento de dosagem Marshall, sendo necessária a realização de ensaios específicos, de forma avaliar danos por umidade induzida, escorrimento do ligante e índices físicos.
Exemplo de teste de escorrimento, AASHTO- 305/97,  retirado da Tese de Mestrado de  Mourão, F. A. L., 2003, COPPE/UFRJ, Misturas Asfálticas de Alto Desempenho Tipo SMA.


Muitos países possuem suas próprias normas e estas foram inicialmente adaptadas do pioneirismo alemão e posteriormente com base na própria experiência de cada país.
Como referências  de especificações podem ser citadas,  AASHTO (American Association of State Highway and Transportation Officials) e NAPA (National Asphalt Pavement Association),  e Especificações do DER- São Paulo, ET-DE- P00/031 – Concreto Asfáltico Tipo SMA.
A especificação do DER- SP define SMA como:

Faixa Granulométrica especificada:

Características que a Mistura SMA deverá atender.

Back to Top